CTGs pedem menos burocracia para eventos


 Tradicionalistas de Santa Catarina querem que os órgãos de segurança pública reestudem os itens exigidos nos eventos campeiros.

Lideranças do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) se reuniram com deputados da Frente Parlamentar do Agronegócio e do Turismo Rural e pediram apoio e intermediação com a PM, Bombeiros e Polícia Civil. Segundo eles, os itens exigidos dificultam a realização de rodeios, tiros de laço e outros eventos campeiros.

Vice-presidente da Frente Parlamentar, o deputado Gabriel Ribeiro classificou a reunião de “histórica” e fez breve relato do que presencia nos eventos na Serra Catarinense. Ficou acertado que parlamentares, tradicionalistas e representantes da PM, Bombeiros e Polícia Civil vão escrever, em conjunto, regras (possivelmente um projeto de lei) conforme as características dos eventos campeiros, sem abrir mão da segurança.

O presidente do MTG/SC, Ciro Harger, lembrou que o endurecimento das exigências ocorreu após o incêndio na boate Kiss, em Santa Maria (RS), onde 242 pessoas morreram. Segundo ele, estas exigências estão inviabilizando 35% dos eventos em SC. Pelo levantamento da entidade, são necessários 27 alvarás.

Hoje, são realizados 960 rodeios no Estado, e este volume gera impacto positivo no turismo e no movimento econômico de Santa Catarina. O MTG estima que os eventos campeiros geram R$ 1 bilhão por ano. Além disso, em pequenos municípios, o rodeio acaba sendo a única diversão de jovens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *