Cedups de Lages pedem ajuda a deputado para manterem turmas abertas


As direções dos Centros de Educação Profissional (Cedup) Industrial e Renato Ramos da Silva, de Lages, estão inconformadas com a decisão da Secretaria de Estado da Educação (SED) de suspender a abertura de turmas de estudantes no segundo semestre deste ano. Ao todo, são 10 terminalidades e em torno de 800 estudantes prejudicados.

Nesta sexta-feira, eles pediram o apoio do deputado Gabriel Ribeiro para reverter a situação e manter as turmas abertas. O parlamentar já enviou um ofício à Secretaria e, na semana que vem, promete uma ação política no sentido de pressionar a SED. A decisão do Estado serve para todos os Cedups de Santa Catarina que têm regime semestral. O Agrícola de São José do Cerrito é regime anual e não se enquadra na circular da Secretaria.

O Cedup Industrial oferece os cursos de Mecânica, Eletrotécnica e de Informática, enquanto o Renato Ramos da Silva dispõe de Administração, Análises Químicas, Contabilidade, Edificações, Enfermagem, Saúde Bucal e Segurança no Trabalho. Segundo a diretora deste Cedup, Márcia Costa, pela demanda, os alunos de enfermagem, saúde bucal e de segurança no trabalho costumam sair do curso empregados.

O Estado alega que é necessário suspender as turmas para uma avaliação dos motivos que levam à alta evasão de estudantes. O deputado Gabriel Ribeiro conversou com a direção e também com os alunos. Ouviu que não se trata de evasão por simples desistência de estudar. Segundo eles, há dois problemas principais. Um é o aluno trabalhar e não conseguir conciliar as duas coisas (e é comum concluir o curso em mais do que o ano e meio previsto). A outra questão é o estudante perceber a sua incompatibilidade com o curso após o ingresso. Por exemplo, aluno de enfermagem desistir após a prática de dar injeção.

O Cedup Renato Ramos da Silva tem em torno de 1,2 mil alunos e o Industrial, 400. Os diretores dos colégios argumentam que a Serra, onde os problemas socioeconômicos são maiores do que em outras regiões de SC, é fundamental manter o ensino técnico, pois prepara o jovem para ingressar no mercado de trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *